DRE: qual é sua importância e como fazer?

Conteúdo

As empresas brasileiras têm uma série de obrigações a serem cumpridas dentro de um prazo, o que garante sua regularidade perante às instituições fiscalizadoras, porém, também permite avaliar a atividade de uma companhia.

É o caso da Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), um relatório contábil que revela se uma empresa obteve lucro ou prejuízo em um determinado período. A apuração é realizada por meio da confrontação de dados referentes aos custos, despesas e receitas de um empreendimento.

Para que serve a DRE

A DRE é utilizada pelo Governo Federal para verificar se os impostos foram calculados corretamente. Há um confronto do lucro declarado pelo proprietário no Imposto de Renda com o Demonstrativo de Resultados do Exercício.

A relevância da Demonstração do Resultado do Exercício ultrapassa a função de apenas cumprir exigências como prestações de contas contábeis e fiscais.

Entender como funciona a DRE, sua utilidade e seu impacto nas decisões contribui para tornar mais eficiente a administração de uma companhia. É uma ferramenta lógica e simples que permite entender a situação empresarial.

Qual importância da DRE?

Com a DRE, os gestores podem analisar a capacidade de lucro e a necessidade de realizar mudanças na administração para melhoria de desempenho.

A Demonstração do Resultado do Exercício é um retrato fiel da situação do negócio em determinado período e permite que haja a elaboração de um planejamento estratégico assertivo.

A declaração faz diferença na hora de obter um empréstimo, pois analistas financeiros de instituições bancárias exigem o demonstrativo para avaliar a situação da empresa e decidir se a concessão de crédito vai ser concedida.

Além disso, é comum que investidores costumem analisar cuidadosamente o relatório da DRE para terem mais segurança antes de aplicarem o seu capital.

Quem deve fazer a DRE?

Ela precisa ser elaborada com o Balanço Patrimonial e ser assinada por um contador habilitado pelo Conselho Regional de Contabilidade (CRC). O documento é obrigatório para todas as empresas, exceto o Microempreendedor Individual (MEI).

A DRE deve ser feita ao final de cada exercício financeiro que, em geral, tem 12 meses e vai de janeiro a dezembro. Há casos em que o relatório é produzido a cada trimestre para fins de fiscalização ou mensalmente, com intuito administrativo.

Como fazer a DRE?

A Demonstração do Resultado do Exercício segue uma sequência padronizada. Confira a relação de informações que devem ser apresentadas:

Receita Líquida de Vendas

Da Receita Bruta de vendas são deduzidos os impostos, os abatimentos, as devoluções de vendas e os descontos comerciais concedidos pela companhia.

O resultado recebe o nome de Receita Líquida de Vendas. É por meio dessas informações que o custo dos serviços e mercadorias vendidas é deduzido, chegando assim ao Lucro Bruto.

Lucro Bruto de vendas

Todas as despesas gerais, financeiras, operacionais e administrativas são subtraídas do Lucro Bruto. Inversamente, as receitas operacionais são acrescentadas e, então, chega-se ao Lucro ou Prejuízo Líquido ou Resultado Operacional.

Resultado Operacional

É nessa etapa que serão acrescentados ou deduzidos todos os resultados não operacionais como os salários de funcionários e gestores e demais benefícios.

Por fim, chega-se ao Lucro Líquido do Exercício (LLE), que consiste no objetivo final de todo DRE. Com base nos resultados alcançados com o DRE, é possível fazer uma análise confiável da gestão do empreendimento a cada ano.

Saiba mais

Acesse o site e confira mais informações para melhorar a gestão da sua empresa.

Quer receber mais conteúdos brilhantes como esses gratuitamente?

Não perca mais nenhum post!

Assine nosso blog e receba novos posts diretamente em seu email.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email